08 março 2014

Jovens, criatividade e responsabilidade social


Como três surfistas usaram suas habilidades de crochê
para mudar a vida de centenas de pessoas


"Kohl Crecelius (à esquerda na foto abaixo) e dois de seus amigos do colégio queriam fazer algo significativo com suas vidas, e decidiram usar suas habilidades de crochê para fazer isso acontecer. Quando ouvi pela primeira vez a sua ideia, há cinco anos – um surfista da Califórnia que faz de gorros de crochê e quer usar essa habilidade para tirar as pessoas da pobreza – eu não poderia ter imaginado como essa história iria se desenvolver" conta Ilana Rabinowitz, VP Marketing da Lion Brand Yarn Co, uma empresa de fios como a Círculo,  Pingouin  e Coats aqui no Brasil.


Kohl Crecelius, Stewart Ramsey, e Travis Hartanov – fundadores da Krochet Kids


Eles ainda não sabiam exatamente como iriam usam suas habilidades para o bem, até que um dos amigos fez uma viagem a Uganda. Lá ele conheceu pessoas que viviam em acampamentos do governo há mais de 20 anos. Rebeldes atacavam suas aldeias e essas pessoas não tinham outro meio de sobrevivência. Eles eram pobres, sem instrução e tinha pouca esperança para o futuro. Uma geração de filhos cresceu nos campos sem conhecer nenhuma outra vida.



Em 2009, os Krochet Kids, como foram descritos pelo jornal local, entraram em contato com a Lion Brand para ajudá-los com uma doação de fios. "Parecia uma ideia incrivelmente ambiciosa. Eles teriam que conseguir matéria prima para um país do terceiro mundo, ensinar um grupo de pessoas que não conheciam (e que viviam em condições bem precárias) a fazer crochê, certificar-se de que os gorros tinha qualidade suficiente para justificar um bom preço, competir no mercado de gorros, e vendê-los nas lojas dos EUA. Parecia um caminho longo, mas nós acreditamos neles", afirma Ilana.


Para conhecer mais o trabalho deles, confira este vídeo emocionante:




Hoje, a Krochet Kids International é uma instituição de caridade. Eles tiraram mais de 400 pessoas da pobreza, empregando cerca de 120 mulheres na Uganda. E além de começar um programa semelhante no Peru, sua linha de produtos se expandiu para incluir peças de vestuário e decoração da casa, costuradas à mão. Os produtos artesanais são vendidas em lojas independentes em todo os EUA, como a Nordstrom, Whole Foods e Urban Outfitters.






Eu AMO o fato de que cada gorro tem uma etiqueta costurada à mão com o nome do fabricante do mesmo. Não só você sabe de que lugar do mundo ele veio, mas também quem realmente fez o que você está vestindo. E através do site da Krochet Kids, você pode até enviar uma nota de agradecimento para quem fez o seu gorro.




Se você já aprendeu ou ensinou alguém a fazer tricô ou crochê, sabe como isso pode mudar  uma vida!

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário